Blog

Tapar o sol com a peneira

Muito se tem discutido nos últimos tempos sobre aquela que irá ser a nova Lei de Bases da Saúde, mas para melhor se perceber o contexto vamos enquadrar aquilo que deu origem a esta agitação. A Lei de Bases da Saúde em vigor é de 24 de Agosto de 1990, é a Lei nº 48/90. Muito se fala da nova Lei de Bases e da sua suposta transformação do sistema. Mas será que precisamos de uma nova Lei de Bases?

Uma atualização é de facto necessária, pois em 29 anos muita coisa mudou. Mas, na minha opinião, esta discussão apenas surge para disfarçar os problemas que tem vindo a surgir no Sistema Nacional de Saúde nos últimos meses. Greves, deficiências operacionais, organizacionais e  estruturais,  urgências sobrelotadas, tempos de espera muito elevados para uma simples consulta, já sem falar do aumento do número de doentes que tem de esperar mais do que o tempo recomendado para uma cirurgia.

Temos um Serviço Nacional de Saúde em colapso e parece que o que importa neste momento é o facto de estar contemplada a questão da maior ou menor intervenção dos privados nesta área que é uma pedra basilar do nosso sistema. Mas ao que tudo indica o Primeiro Ministro deste país, mais uma vez, com a sua astúcia conhecida lá resolveu o problema, sem por em causa o seu casamento à esquerda.

Protelamos demais a resolução de alguns problemas do Sistema Nacional de Saúde, precisamos de inovação tecnológica, cuidados de saúde primário mais eficientes e não aquilo que parece que temos hoje em dia, que são cuidados de primeira e de segunda, o que não pode acontecer. O Serviço Nacional de Saúde foi uma das maiores conquistas, da qual nos vangloriamos, no entanto ele está doente e não estamos a conseguir curá-lo.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *