Blog

A culpa é de quem a apanhar

Bom, mais um mês adentro de 2019; mais um debate vergonhoso; mais um arremesso para ver a quem calha a culpa… e os professores? Onde ficam no meio disto tudo?

Por acaso ainda hoje ouvi uma conversa entre professores em que um deles dizia “Para quê esta confusão toda com o Nogueira? Por mim, pedia-se apenas 2 anos e o resto que se dissipasse”. Acho que esta situação veio apenas trazer mais achas para uma fogueira quase tão antiga quanto o 25 de abril (*leitor interessado em entender, refiro-me às datas de criação dos partidos), a disputa PSvsPSD. A disputa do “Foi o deputado A do PSD que vos pôs deixou apertados ao ponto de terem que contar os trocos que tinham no bolso” e do “Foi o deputado do PS que vos pôs a corda ao pescoço ao abrir os braços à crise”, mas meus caros leitores… Mais uma vez pergunto, e os professores? Onde ficam?

É que parece que se tornou muito engraçado esta história de dizer que a luta deles é ridícula, que quase levou um Primeiro Ministro à demissão (onde é que já ouvi esta história antes??), que dividiu um país e que levou a que partidos dissessem “Olha concordo. Espera, isso ainda vai sobrar para mim no próximo mandato? Então espera!!!! Já não concordo!”, que levou mais uma vez à discussão entre esquerda e direita (que entre estas posições, venha o diabo e escolha) e que mais uma vez levou os meios de notícias a colocarem a imagem dos professores na lama!

Vão-me desculpar esta analogia mas isto mais me parece quando dois pais se divorciam e têm que decidir quem é que fica com a guarda das crianças, que neste caso são assumir a culpa por detrás deste dilema e criar um acordo que resolva esta questão de uma vez por todas. E parece que o “criar um acordo que resolva esta questão de uma vez por todas” é aquela criança, que até o “pai” PSD não quis assumir!

Mas será que sou só eu que olho para esta situação e me sinto cada vez mais desiludida e angustiada com a imagem do nosso país? Primeiro porque mais de metade dos portugueses neste momento acreditam que os professores são maléficos e não fazem nada e segundo, em que país senão o nosso, é que é normal tirarem-se simplesmente 9 anos de carreira e fingir que nunca existiram? Só num país tão retrógrado e pouco instruído é que uma coisa destas acontece e os políticos decidem pegar nisto como se fosse o jogo da batata quente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *